genuíno


Perde-se o amor por confiança e por desconfiança, por exesso ou falta de ternura, por tudo e por nada.
Abandona-se o amor apregoando a fidelidade para consigo próprio, quase sempre a maneira mais confortável, cobarde, de se iludirem.
Poucos têm a capacidade para manter relações de amor.
Numa relação amorosa e para que seja verdadeira é imprescindivel a distinção entre si e o outro.
Identidades perfeitamente separadas.
Aqueles que amam genuínamente alimentam e respeitam essa individualidade única.

4 comentários:

Paulinha disse...

Nada nos sobrepõe, nem mesmo uma relação. Quando algo entra na nossa esfera do ser, deixa de ser algo saudável e tocamos no limite da entrega total. Nada saudável, por sinal.

Å®t Øf £övë disse...

Zé Manel,
O amor é feito de amizade, cumplicidade, e partilha. Só assim se consegue construir uma relação solida. E claro, como dizes, respeitando a individualidade de cada um.
Abraço.

Incongruente disse...

O Art já disse quase tudo, creio que o amor engloba também flexibilidade que nem sempre inserida no respeito mas sim naquela compreensão que a idade nos traz de darmos importância apenas ao que realmente tem importância e a quem...

Abraço.

zé manel disse...

Paulinha, Art of Love, Incongruente,

Está em risco, o Amor.
A comunicação é essencial, neste mundo onde se compete por tudo é também o amor competição, surge o medo e a insegurança inimigos de qualquer relação verdadeira...

Abraços