Eu aqui...


Há sítios e pessoas onde não deviamos estar nunca.
Porque será tão grande a atracção inevitável que me faz lá estar?

Há muito sei ser uma ilha, que a rotina não supera tudo o que cá dentro acontece, ainda que passe fica.
Indelével.
Mesmo que o amor volte a perca desnecessária reflexo da incapacidade de comunicação fica sempre, cá dentro.
Ela está. Para o sempre...
Um som de piano, familiar desde há tanto voltou-me a ti.
Incrível a rapidez comparando a distância imposta, porque tem...
e tudo perde a simplicidade e deixa dúvidas a planar, contrariando o defenido há tanto e tão pouco.
Hoje sei estar outra vez onde não devia, amanhã que alguma parte pouco emocional decida e me empurre para longe daqui.
Porque o perigo espreita e sei possível sofrer outra vez.
Claro que não!

É só Amor que sinto.

2 comentários:

S. disse...

...e já é tanto...

zé manel disse...

Pelo menos a vantagem de saber a diferença.
... e já é tanto...

obrigado pela visita.
Atrevi visitar-te...

Gostei