casa de partida


Há momentos de uma beleza inegável.
Meus...
De que servem se só meus?
Aquela seria multiplicada por uma infinidade se só um ser a visse também...

Este é, espero, um breve momento em que me sinto lá em baixo e como habitual só.
O espaço é belo. Por isso mais só.

Dias que passam devagar e que na rotina feita de pormenores pouco animadores criados por gente, aparentemente pobre, por falta de coragem de se mostrarem ricos, a que não me quero habituar e que por vezes vejo também eu imitar por preguiça ou desalento e saber compensar aqui...

Estranho mundo onde vivemos que não podemos ser, só.
Sendo nos olham como fracos, frágeis e vulneráveis...

Nos últimos meses, por vezes, senti crescer em mim algo que achava perdido no tempo, a vontade de agir em conformidade com a atitude desprezível que enfrento nas pessoas dos meus dias e que agem sem respeito e consideração pelas pessoas com que vivemos.

Temos que viver!

Cresce o respeito por mim.
Apesar da tentação de vencer aquela luta, perco. 
Sinto merecer estar outra vez na casa de partida.

Só eu !

Onde andas Tu?

4 comentários:

♥M@cellY♥ disse...

Oi...prazer! Adorei seu post...
Cheguei aqui por curiosidade, e adorei ter chegado.
Suas palavras tem um misto de poesia, solidão, amor...
Me identifiquei muito com o post de hoje.
parabéns!!
"Estranho mundo onde vivemos que não podemos ser, só.
Sendo nos olham como fracos, frágeis e vulneráveis...
[...]
Onde está tu? "

Adoreeeiiiiiiiii....

Beijo grande... eu volto!

Incongruente disse...

E estás na casa Partida, aproveita a bagagem para te manteres alerta e não descuidares quem te queira bem no caminho.

Grande texto, gosto da tua forma de pensar.

Até mais.

P.S. - Vai até ali ao lado ouvir o Pedro Abrunhosa? Vais?

"...que o caminho se faz entre o alvo e a seta..."

zé manel disse...

m@celly,

Obrigado.
Volte sempre...
Por mim prometo espreitar por aí.

até.

zé manel disse...

incongruente,

Estou e esse erro prometi não repetir...

Fui ali ao lado, e ouvi o abrunhosa...
Como sempre fico deliciado com o que leio.
( a Ignota merecia uma justificação inspirada!) :)

obrigado
Até...