pois


Pois. És ainda tu. 
Curiosamente não lembro como é a tua cara. Mesmo.
Estranho seres ainda a única personagem de que sinto falta.
Hoje estou especialmente sensível.
Talvez porque aparentemente está tudo bem. Mas não estás.
Sem dramas. Lembrei de ti. Arrepiei-me!
Senti a falta que me fazes quando parece já não fazeres.
No arrepio liquído que escorre, doce, atreve-se a tua imagem, não a física, que quase não lembro, mas outra se impregnou e parece não ir nunca. Ficou para me encher de tristeza quando parece possivel ser feliz.
Vens arrogante, impedir que alguém entre quando não te lembro e apesar não saber quem és e certamente não saberes quem sou.
Não entendo. Se ainda aqui estás, como é possivel não estar aí?
Não interessa. Espero que esteja tudo bem contigo.
Danças comigo? Outro dia...

8 comentários:

caos da teoria disse...

:))))


(entendo)

inBluesY disse...

:) grandes férias (ainda com inveja )

Carla disse...

lembranças com sabor a saudade...ou será a amargura?
danço sim...escolhe a música
beijos e bom regresso

zm disse...

...

isso é muito bom!!!

: )

zm disse...

Bluesy

...!!!...

Mas a inveja é tão feia...


ps: : )

zm disse...

Carla,

Saudade, só saudade. Pacífica.

Eu danço qualquer música...

bjs : )

Å®t Øf £övë disse...

zm,
Um segundo pode ser o suficiente para o amor ocupar todo o espaço dentro de nós, e uma vida inteira pode não ser o suficiente para esquecê-lo.
Abraço.

zm disse...

å®t øf £övë

Mistérios da vida, do Amor, que quando grande, como dizes, uma vida não chega para esquecer.

Abraço