ainda que só



a ausência nos dias 

de tantos, se fizeram meses
não me entristece agora 
fazes-me falta
compensas aqui

gosto de te sentir perto 
pressentir as razias constantes 

das palavras, de tantas
por vezes rasteiras, outras qual cometas 
me ameaçam o equílibrio
enquanto outras, envolventes 
amparam e sossegam a esperança
a que o nada já não desespera
tantas outras se misturam

sábias, sem chão, flutuam

videntes sem nome

expressões de alívio
observam as minhas
sem ver, ouvem-se
sorrisos sacanas
de gente bacana
de coragem ébria
da transparência
evidente



sabes que sou



é genuína a alegria
quando há procura de mim
com frequência
me encontrar em ti 
estas são minhas
transparentes
 não fazem parte de um plano maior
na expectativa de uma vitória
num jogo que não quero competir
quero viver
ser
ainda que só
nunca






24 comentários:

Narrador disse...

Presumo que seja teu Zé...


"Louco" quanto baste!:)))))


Um dia pintas e eu escrevo sobre a tela, que dizes?


Um abraço!

Å®t Øf £övë disse...

Zé,
Está uma verdadeira obra de arte. Parabéns.
Abraço.

Carla disse...

...porque és...encantas com as palavras
beijos

Blue Eyes disse...

Oi Zm!
Voltado do paraiso e deslumbrado com este poema!

Um abraço!

S. disse...

Encontrarmo-nos no outro, descobri-nos noutra pele as nossas palavras...transparentes e belas...como as tuas :)

Green Tea disse...

fiquei a absorver estas palavras ... como se de um lado de um qualquer espelho as encontrasse reflectidas, noutra caligrafia que não a minha, mas como se pudessem ter saído das teclas que vou premindo incessantemente.

gostei. muito ...

Ki disse...

O quadro é amazing e as palavras deixam as minhas aquém. E o sol?

Beijo.

Elsa disse...

Fiquei com um sorriso qdo li!...

jokas
Elsa

Ego disse...

Z Z tenho novidades para 'ocê'!

tu anda desaparecido hum...

ao sol*?

Beijos e abraços ;)

O Árabe disse...

Meu abraço, amigo... belos textos!

zm disse...

Narrador,

Presumes bem. A loucura é minha.
A ideia é interessante. E pelo que tenho lido por lá estás inspirado. Temos que combinar...


Abraço


ps: que escrevias aqui?

zm disse...

å®t øf £övë,

Obrigado meu caro.

Grande abraço

zm disse...

Carla,

Obrigado minha querida, que há tanto me encantaste.

Beijo : )

zm disse...

blue eyes,

Não é um poema é um desabafo!

Sê bem vindo do paraíso

Grande abraço

zm disse...

S. ,

Obrigado...

Mas palavras, só palavras... e não tão belas quanto as tuas.

: )

zm disse...

green tea,

Espero poder continuar a ler-te|me por lá.

Gosto. Muito. Sabes...

zm disse...

ki ,

As tuas nunca serão aquém.

beijos

Gosto muito de Ti|Ki

zm disse...

Elsa,

E eu por te ler aqui...


sorrisos : )

zm disse...

Ego,

Fico á espera... (?)

zm disse...

o Árabe,

Obrigado amigo.

Grande abraço

Green Tea disse...

oh! de forma alguma serias tu ;)
eu é q preciso de parar um pouco, deixar ficar um pouco as palavras a pairar em vez de as triturar contra um teclado... quase nada tem saido da forma como poderia ter saido...

n devo demorar mt, sei q n demoro mt, n consigo ... é o meu espaço, só preciso q volte a ser o meu tempo

**

zm disse...

Green Tea,


Que a forma e o tempo se encontre, breve, no espaço...

Beijinho : )

Carla disse...

Viver...ser
...dividir a solidão, só quando se quer
beijos

zm disse...

Carla,

Viver.
Acima de tudo viver.

A solidão, que não me entristece pois nunca me sinto só, não divido, é minha e razão do meu crescimento.

Porque quero. Sim.


beijos