001

De repente, o motivo que aqui me trouxe, não é há muito a razão porque ainda aqui estou. Foi-se, sem ir misturou-se, misturou-me, perdeu a tristeza no caminho e inflamou o que do tempo ficou. Fiquei e quando me afasto, porque nada tenho para deixar, são as pessoas nas palavras que me fazem voltar. O quanto eu gosto de palavras que riem, choram, amuam, brincam e me fazem esquecer no que sinto serem só letras.
Há uma inquietante sensação de segurança desonesta que trepa cá dentro quando as páginas me tentam com o que quero já sem querer. Cresço. Lembro que o medo por vezes é ligeiro, leve, mas sempre traiçoeiro e que a dor que provoca é pior que a outra.
De repente, o único motivo és tu! Sempre te encontro nas palavras que não sei precisar mas fazes questão de por aí deixar e eu tropeçar nos nomes misturados, espremidos até ao teu que não é. Mas és. Andas por aí. Sabes o poder das imagens que as palavras têm, sabes as palavras e brincas séria como ninguêm.

17 comentários:

KI disse...

Ainda gostava de 'encontrar' esse tu q falas dessa forma entre o displicente e o carinhoso. DE repente irritava-me o the end anterior, és uma corda de arame... difícil e fácil de prever.

Abraços. Beijos. Todos.

LORENZO MONSANTO disse...

Caro ZM

A tua montanha russa quer de sentimentos, emoções e acima de tudo, aquele ZM de palavras alinhadas de forma única e desconcertante é de facto assim..."Fácil e difícl" de prever...De facto cresces, não sei se pelos medos, ou se pelo desejo de não os ter...E quando te reconheces no outro, ou nesse tu de que falas, a tal que "brinca séria como ninguém", fazes isto...Transformas a simplicidade em labirinto complexo onde a saída de encontra demasiado oculta.

Ofereçam-me comentários activados, para eu tecer teorias!!!

Um grande Abraço!

O ZM que se movimenta na rua, aproxima-se do ZM que aqui escreve...

yensung disse...

Ai as palavras... esse bichinho de contas que ora se enrola e pára ora se estica para avançar. Perigosas estas senhoras, as palavras. Sinuosas, sedutoras, quando nos cativam é (quase) impossível resistir-lhes. Tal como já disse noutro momento de hoje: apaixonarmo-nos é como estar perante uma porta aberta. Podemos retroceder enquanto estamos à frente dela... mas se decidirmos entrar, não há volta a dar.

Obrigada por voltares a partilhar "as tuas", zm.

"andam por aí"... :)

zm disse...

Ki,

Oh minha querida quantas vezes o "tu" és Tu.
Mas são só palavras! Só palavras.
O the end foi real. Anterior...
"difícil e fácil de prever" significa, claramente, equilíbrio. Boa!! : ))

"Todos" para Ti também.



Lorenzo,

Não está nada oculta!
Meu caro amigo, não menosprezes a tua imaginação.

: ))

Venham lá essas teorias. São bem vindas.

Grande abraço!


Espero que sim...




yensung,

E as tuas que me enchem e não deixam espaço que chegue para que as minhas possam sair e fiquem pelas "Duas Estradas".
Sinuosas, sedutoras...
Tu brincas como ninguém. Sério.

Andam mesmo!! : )

zm disse...

ps: Se há quem sabe brincar e sabe as palavras, estes três Senhores/as sabem como poucos.
Sorte minha que os tenho aqui.

boa : ))

A Rapariga Que Se Apaixonou Pelo Amor disse...

Outro post dedicado à minha pessoa... ;)
Sabes, Zm, naquela parte em que dizes ir ficando porque sentes que as palavras não são meras letras e que as imagens, etc, etc,... talvez seja esse o motivo que me faz voltar de vez em quando.
Há pessoas que nunca serão meras palavras e tu tb és uma delas.
Sempre gostei da tua forma sincera de escrita, porque as tuas letras têm sempre muito mais que um belo abstracto, têm substância.
A parte do eu andar a surripiar umas dedicatórias, é pura contradança que tem como som de fundo um simples: gosto muito de vocês.G.M.D.V. lol

inBluesY disse...

sorte a minha, q encontrou hoje aqui, os comentários livres para palavras deixar

1 BJ

ZdeM

Blue Eyes disse...

E de repente reparamos que continuamos vivos! :)

Grande abraço!

Green Tea disse...

Fico sempre algo atordoada quando aqui chego. Ainda não consegui compreender se é das tuas palavras, dos the ends que apertam o peito ou se da mistura delicada de ambas.

Gostei do texto, como sempre, e bastante!

zm disse...

Apaixonada,

GMDV é muito bom!! Eu também. : ))
E quando te posso ler outra vez?
Também gosto de te encontrar nas palavras.

Beijos

ps: não me parece que me tenhas surrupiado qualquer coisa...



InBluesY,

Sorte minha.
Bom ver-te aqui!

Beijo
ZdeM



Blue Eyes,

De repente é bom viver!!

Abraço



Green Tea,

É da mistura. : )
Juro que não é fita. o bom de ter um blogue é pudermos fazer exactamente o que nos apetece no momento.
Pasmado fico eu com as tuas! Mas isso sabes há muito.

Beijos

TN disse...

Este "de repente" nunca mais passa?
É que: se é de repente, já passou, digo eu, ou talvez não :))

zm disse...

...

Claro que não!
O "de repente" súbitamente chegou, não passou.

Quem sabe?

: ))

TN disse...

Ah! Ok, acho que entendi: "de repentes" súbitos, intermitentes, que vão e vêm?
Ou serão "de repentes" impetuosos? Compulsivos?
Sem notificação e pré-aviso?
Daqueles que vêm e não vão?

:)))

zm disse...

Nada disso!
Sempre disse que não tenho jeito nenhum com as palavras!
Na próxima uso uma foto.
Afinal uma imagem vale por mil palavras ; )

TN disse...

Uma imagem sem palavras?
Nãaaa, prefiro as palavras.

zm disse...

Sendo assim vou tentar ser claro (que seca).
Como se isso fosse possivel : )

TN disse...

Chegou a minha hora.

Boa noite.