Claro que te quero com e também sem palavras. 

Parece-me evidente e surpreende ser motivo para divagares, ainda que o resultado seja fabuloso como sempre, acerca de uma frase que querendo esqueceres a sensação de que estas fazem parte de uma competição identificas fácilmente o significado. Quero que por momentos não sejam necessárias não pela falta de consideração que tenho pelas mesmas mas porque a sua ausência é prova de que as que não escritas foram verbalizadas, que os olhares se fixaram a entoação não deixou espaço para a dúvida e então real a possibilidade de usufruir a beleza e elegância de silenciosos momentos de Paz. 
Sem as tuas não és nem nunca serias importante, foram elas que me fizeram apaixonar por ti e ainda hoje por elas aqui estou. Por muito que me custe admitir sei que não são as minhas que suscitam o teu interesse, são pobres e simples, ainda que por vezes traduzam emoções e sentimentos, nunca conseguirão transmitir na totalidade o espaço que em mim há tanto ocupam. 
É real a falta que me fazes e não se esgota no  teu cheiro ou na saudade da pele ainda que invadida por varizes e celulite, sempre lá estiveram e nunca me ensombraram ou tiveram poder para que o que sinto por Ti desaparecesse. 
Em Ti gosto de tudo e no todo esses pormenores são menores e só a tua insegurança permite que vivam. Os teus defeitos lembro com carinho, até aqueles que não permitem que estas sejam desnecessárias. 
O tempo que passou é imenso, necessário, parecem por vezes platónicas e desajustadas se é nas entrelinhas que procuramos a verdade que no intímo sabemos. Apetecia dizer que te amo mas não sinto que possa descrever o mundo que podemos ser se o querer derrubar as palavras que nos ocupam a mente e afastam o coração. 
Há muito te pedi que falasses comigo. Fala comigo. Ou não. 
Mas então de que servem estas que por aqui trocamos que a tantos enche e a nós inevitávelmente sobreviverão. 
Por mais que preencha a vida de acontecimentos, eventos e gentes ou outros mundos sei que este se pode perder para sempre neste silêncio e certamente não se repetirá com tamanha intensidade. A perspectiva dessa realidade que á tanto pressinto a possibilidade torna a que senti indolor e ridícula
E tanto que doeu. Sabias? 

2 comentários:

Carla disse...

As melhores palavras são as que se dizem em silêncio e se adivinhm no sentir...que as consigas sempre dizer e que as adivinhes sempre em ti
beijos

zm disse...

...

E quais posso eu escrever depois das tuas?

Obrigado
Beijo